A Lua na Astrologia

Astrologicamente, o signo (Solar) só representa uma parte da “big picture” da pessoa. O signo onde está a Lua pode ser tão forte quanto o do Sol! Qual é o signo onde está posicionada a Lua no teu mapa astral? E qual a fase lunar do teu nascimento? Terás nascido em Lua nova ou Lua cheia? Vale a pena aprofundar a configuração da Lua na carta astral. A Lua representa o nosso lado mais misterioso: o lado Lunar! Aquele que gostamos de ocultar, às vezes de nós mesmos, mas que acaba por se revelar mais cedo ou mais tarde…

A Lua desde sempre exerceu um fascínio na vida dos homens. Começa logo pelo facto de ela aparecer à noite, brilhante e com uma aparência que vai variando ao longo do mês, como se fosse contando uma história que começa na Lua nova, atinge o seu climax na Lua Cheia e depois termina antes de iniciar um novo ciclo, uma nova história. É esta característica de inconstância da Lua que faz com que a ela se associe (astrologicamente) mudanças, flutuações e oscilações.
Em especial, a Lua cheia está carregada de simbolismo que foi passando ao longo das gerações e ficou arquivado no inconsciente coletivo. Os povos primitivos adoravam a Lua e faziam os seus rituais e festas na época da Lua Cheia. Existem também muitas lendas sobre feiticeiras, vampiros e lobisomens que aparecem na Lua cheia.

A palavra Lunático vem da palavra latin Luna e é sabido que em noites de Lua cheia aumenta a taxa de suicídios e homicídios porque nesta fase as “loucuras” e “crises” tendem a ficar enfatizadas. É quando as carências da alma vêm a flor da pele. A Lua está associada à alma, às nossas carências, às necessidades emocionais mais profundas, aos instintos, às inseguranças … a todas as memórias da infância que se acumularam no nosso inconsciente e que são projetadas para fora em respostas automáticas. De certa forma a Lua pode representar o “lixo emocional tóxico” que precisa de ser trazido à consciência, curado e libertado para que possamos curar o nosso passado e abraçar o futuro sem medo, sem ressentimentos, sem vitimização. A configuração da Lua na carta astral dá-nos pistas sobre todos estes aspetos da nossa Natureza. Assim, analisar a Lua na carta astral é trazer à consciência tudo isso e a partir desse momento fica mais fácil gerir, conviver e manifestar o lado positivo e criativo do nosso lado Lunar.

Foi nos braços da nossa mãe que tivemos as nossas primeiras reações emocionais e o elo de ligação entre mãe-filho está também representado astrologicamente na configuração da nossa Lua. A segurança emocional que ela nos transmitiu nos primeiros anos, as suas inseguranças, os medos que viveu na gravidez e durante a nossa primeira infância, a forma como ela respondeu às nossas necessidades físicas (como nos alimentou), a atenção que nos deu … todas as experiências e sentimentos vividos nos “braços da mãe” acabam por repercutir-se e manifestar mais cedo ou mais tarde na vida adulta da pessoa, das mais variadas formas. Não há mães perfeitas nem vidas perfeitas e sempre existirão inseguranças e medos a superar e curar.  É bom ser-se Mãe tardiamente ou numa idade de maior maturidade emocional para que não tendemos a projetar nos nossos filhos o que ainda não tivemos oportunidade de resolver dentro de nós.

Pela análise da configuração da Lua na carta astral podemos perceber como é que podemos criativamente gerir o nosso mundo emocional. Como podemos sarar as nossas feridas emocionais, como podemos trabalhar as nossas inseguranças. Por estar tão relacionada com os instintos e com o que se manifesta espontaneamente, a Lua na carta astral também nos fala das capacidades inatas que podemos desenvolver e manifestar de uma forma mais fácil. O que tratarmos e curarmos em nós capacita-nos para tratarmos e curarmos nos outros, aqueles com feridas idênticas.
 

Das 12 casas astrológicas existentes, a casa onde está a Lua dá pistas acerca da área da vida onde as características Lunares tendem a manifestar-se mais visivelmente e onde tendemos a ter alguma instabilidade ou passar mudanças ciclicas. Por outro lado, é uma área da nossa vida que devemos acarinhar e nutrir porque ela é fonte de segurança emocional.
 

A Lua nos diferentes elementos (Fogo, Terra, Ar, Água) 

De uma forma bastante genérica e sem olhar às configurações específicas que ocorrem em cada carta astral podemos dizer…
Quando a Lua está em signos de água (Caranguejo, Escorpião ou Peixes) a pessoa tende a reagir de forma emocional perante as situações. Pode existir uma forte necessidade de proteger e/ou ser protegido. Um talento natural para cuidar ou curar os outros. Capacidade “extrassensorial”, são pessoas que absorvem facilmente as emoções dos outros – esponjas psíquicas. Quando não se sentem seguras podem tender à manipulação emocional. Quando pedimos ajuda a uma pessoa com Lua em Água ela sentir-se-á bem se nos poder dar muito muito carinho e cumplicidade.

Se a Lua estiver em signos de fogo (Carneiro, Leão ou Sagitário) a pessoa reage de forma espontânea e entusiasmada às situações, gosta de reagir na hora H. São o tipo de pessoas que se sentem confortáveis quando podem mostrar a sua coragem, criatividade e dinamismo. Precisam de agir, tomar decisões e sentir que a vida é um desafio. Quando não se sentem seguras podem ser reativas e explosivas. Pode existir um talento inato para a liderança, para motivar os outros e são por norma pessoas visionárias. Quando pedimos ajuda a uma pessoa com Lua em Fogo ela sentir-se-á bem se nos poder ajudar a vermos o lado mais criativo e positivo.

Se a Lua estiver em signos de Terra (Touro, Virgem e Capricórnio) a pessoa reage às situações com bom senso e estabilidade. São pessoas que sentem-se seguras sendo produtivas, trabalhando, executando e vendo resultados práticos. Quando não se sentem seguras podem ficar demasiado inflexíveis e resistentes à mudança. Pode existir um talento inato para a organização, traçar estratégias a longo prazo e para os negócios. Quando pedimos ajuda a uma pessoa com Lua em Terra ela sentir-se-á bem se nos poder ajudar em termos práticos.

Por fim, se Lua estiver em signos de Ar (Gémeos, Balança ou Aquário) a pessoa tende a reagir às situações com objetividade e distanciamento. A segurança emocional é encontrada pela expressão verbal das suas emoções e quando se sociabilizam. Gostam de falar objetivamente dos seus sentimentos. Quando se sentem inseguras podem ter reações radicais. Pode existir um talento inato para a comunicação, diplomacia ou inovação. Quando pedimos ajuda a uma pessoa com Lua em Ar, ela sentir-se-á bem se nos poder ajudar a ver com objetividade e distanciamento o que nos aflige.

Todos temos um lado lunar não há como fugir mas pode-se aprender a gerir
 
 
Compatibilidade Lunar 
 
Duas pessoas com Luas em signos compatíveis ou com a Lua no mesmo signo são por norma pessoas que sentem uma grande afinidade uma com a outra. É um bom aspeto em qualquer tipo de relação. Onde está a Lua do teu companheiro ?


obrigado pela partilha | monica teixeira | DFAstrolS